sexta-feira, julho 08, 2016

A Empatia Nossa de Cada Dia

Existe uma expressão em inglês: 'to put yourself in someone else's shoes'. Basicamente, 'usar os sapatos de outra pessoa'. Essa expressão sempre me lembra do bom e velho ditado brasileiro 'CADA UM SABE ONDE O SAPATO LHE APERTA O CALO'.
E essa é a melhor definição prática de empatia que eu consigo encontrar. Como não entender o outro se você se colocar no lugar dele tão literalmente a ponto de usar os sapatos dele? Entender onde apertam, onde são confortáveis e até se deixam chulé ou não?
Assim é a nossa vida. Quando você acorda de manhã e sai pra trabalhar, está no automático? Ou percebe as pessoas ao seu redor - e ativa sua empatia por elas? Aquele 'bom dia' automático, o fato de não lembrar o nome de alguém com quem você trabalha... Será que não está na hora de colocar esse conceito tão abstrato em prática no seu dia-a-dia?
Pra começo de conversa: BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE, COM LICENÇA, OBRIGADO. Seja educado com as pessoas ao seu redor, e não no modo automático. O balconista da padaria, o lixeiro que está varrendo sua rua, o manobrista que guarda seu carro, o porteiro que libera a catraca da firma. Você sabe os nomes deles? Você tira um pouco os olhos do celular para olhar nos olhos deles? Você ao menos sorri para essas pessoas que estão presentes em todos os dias da sua vida?
PREOCUPE-SE. Não só com os seus problemas. Preocupe-se com aquela pessoa com quem você não fala há tempos. Com sua mãe. Com seu amigo que perdeu o emprego. Com o cara que vende bala no farol. Reserve um minuto do seu dia para mandar boas vibrações para os outros, ao invés de apenas pedir pra você mesmo. 
OUÇA. Ouça o que a outra pessoa diz. Ouça com atenção. Mesmo que depois você não tenha nada de produtivo a dizer, mesmo que você não saiba como ajudar, mesmo que esteja preocupado com aquela conta. Escutar o que o outro tem a dizer não dói. O que dói é ter o que dizer mas não ter ninguém disposto a ouvir.
NÃO MENOSPREZE. Você não se incomoda com o frio? Tem quem sofra. Você não se incomoda com o calor? Tem quem sofra. Aquela piada não te atingiu, mas tem alguém reclamando dela? Volte pro item anterior: ouça. E se você ainda discordar, fique quieto. O sofrimento do outro não é menor que o seu, só porque você não sofre por aquela razão específica. "mimimi" é político corrupto reclamando de perseguição. O resto, se não te atinge, você não pode diminuir. Simples assim.
NÃO CAGUE REGRA NA CABEÇA ALHEIA. Essa frase pode parecer contraditória, no meio de uma lista de cagação de regras. Mas o que eu quero dizer é que você não pode ditar pro outro o que fazer da vida dele. É dele, oras. Você não """"aceita"""" gay? Ok. Problema seu. Deixa o gay viver a vida dele. Você aceitar - ou não - não vai mudar a orientação sexual de ninguém. A mulher quer transar, viver uma noite sem compromisso? Deixa ela. Vai mudar sua vida no quê? Não julgue. O que é bom pra você não é bom pro outro. Aprenda que dá pra cuidar da pessoa sem cuidar da vida dela. Você só pode dar conselhos até onde a outra pessoa permitir - e olha que ela ainda pode não ouvir ou ouvir e cagar pro que você disse. Mais uma vez, problema dela. 
REPENSE TUDO. Repense sua sexualidade, sua religião, seus costumes, suas verdades. Pra você, não pode ser gay, não pode ser macumbeiro, não pode fazer tatuagem, não pode ser sexualmente ativa se for mulher. Pra outra pessoa, pode tudo. E agora? Vocês estão no mesmo planeta, ao mesmo tempo. Dá pra conviver de boa? Dá pra entender o outro serumaninho?
Enfim, você consegue se colocar no lugar de outra pessoa? Entender o que ela passa, do momento em que acorda até quando vai dormir? Consegue calçar o sapato alheio? Consegue valorizar a luta, mesmo que pareça não ser sua? Uso "pareça" por um motivo simples: Fazer um mundo melhor depende de todos nós, juntos. Não existe luta ~alheia~. Tudo que for capaz de fazer um mundo melhor, onde ninguém se sinta diminuído, menosprezado, pisado ou discriminado; é uma luta de TODOS. E vale muito a pena.
Calce outros sapatos você também. :)

Nenhum comentário: